quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Brilhas

O sol é teu
A lua é minha
O céu é nosso
E a Terra é de todos.

Vemo-nos todos os dias,
Brilhas como o sol,
O céu é o limite
E a Terra o lençol,
Com que nos tapamos
Ao amanhecer e ao anoitecer,
Esta é a melhor parte
Quando te vou conhecer.

És um satélite natural
Do mais natural que há,
Brilhas como o sol e brilhas
Quando a noite aparecerá.
Fazes um eclipse
Quando passas á minha frente
Tapas-me a luz no meu poente,
Assim brilha só para ti
Como tu
Sorris para mim.
Somos um para o outro
Vivemos no mesmo universo
E é por isso que quero
Estar contigo no fim do verso.
A minha luz dá claridade,
A minha temperatura, calor,
A tua escuridão, incerteza.
E o sorriso, amor.

5 comentários:

Aquela menina ^ ^ disse...

Ta muito bom!! Adorei!!
Continua!!

Raquel disse...

adorei do principio ao fim

Daniela disse...

Muito bom mesmo :)
Já pensas-te em alargar os teus horizontes, tipo, expores mais a tua arte? Tenho a certeza de que não te irias arrepender ;)

Diana disse...

Se os outros poemas estavam excelentes, este rebenta com a escala.
Nem vou dizer que gosto vou usar outra palavra simplesmente amei.

Joana disse...

este foi mesmo mesmo bom. tens mesmo de juntar estes poemas todos um dia e tentar a sorte com um livro. Eu comprava =D